Ótima notícia: Companhia das Letras publicará obras de Carolina Maria de Jesus

Uma das figuras mais importantes da literatura brasileira, a autora Carolina Maria de Jesus, terá suas obras publicadas pela editora Companhia das Letras. A empresa vai recuperar textos da escritora a partir de cadernos originais que estão espalhados em acervos do país. De acordo com uma postagem oficial do blog da Companhia, o projeto terá vários títulos, desde romances, poesias, narrativas curtas etc. O trabalho terá o apoio e supervisão de Vera Eunice de Jesus, filha de Carolina, da incrível escritora Conceição Evaristo e também, das pesquisadoras Amanda Crispim, Fernanda Felisberto, Fernanda Miranda e Raffaella Fernandez.

“Esta iniciativa é um desejo de restituir a voz autêntica dessa grande escritora, trazendo ao público seu projeto literário por completo. É ainda um esforço de reparar a rejeição e estigmatização que Carolina por décadas sofreu dos círculos literários, fruto de um racismo estrutural que lhe negava a presença nesses espaços.”

– blog COMPANHIA DAS LETRAS

De acordo com a Companhia das Letras, haverá a série “Cadernos de Carolina” a qual terá os diários da autora “buscando integridade dos manuscritos originais”, e o primeiro lançamento será Casa de Alvenaria. Os outros títulos da ´série contarão com cadernos que retrataram a realidade e vida de Carolina, desde a vivência na favela até a mudança dela para Parelheiros, local onde morou até o falecimento.

Ainda na há uma data de lançamento do projeto.

A autora

Nascida em Minas Gerais, no dia 14 de março de 1914, Carolina tem uma história de superação bastante inspiradora. Desde muito pequena, ela passava por momentos difíceis, sendo maltratada na infância. Ela tinha 7 anos quando foi para a escola pela primeira vez.

Após a morte da mãe, em 1937, ela se mudou para São Paulo, na favela do Canindé. Grávida na época, Carolina não se viu impedida de trabalhar, construindo a própria casa com materiais como madeira e papelão, e ganhando dinheiro ao coletar papel. Com o tempo, ela passou a escrever sobre as vivências dela nas folhas que encontrava. Ela relatava sobre como era viver na favela, a vida dos moradores e questões sociais de lá.

Os registros de Carolina foram descobertos pelo jornalista Audálio Dantas, que foi uma ponte entre ela e o mercado editorial. Consequentemente, com o talento reconhecido, as histórias dela se transformaram no livro Quarto de Despejo – Diário de Uma Favelada, o qual foi publicado em agosto de 1960. Ele fez muito sucesso: os primeiros 10 mil exemplares se esgotaram em apenas uma semana!

E a fama daquela obra não parou por aí. O site Galileu informa que Quarto de Despejo foi traduzido para 16 idiomas e se tornou um best-seller na América do Norte e Europa, sendo vendido para 40 países.

Após a publicação de Quarto de Despejo, a autora se mudou para um bairro de classe média em São Paulo, chamado Santana. Em 1963, ela lançou os livros Pedaços de Fome e Provérbios. No ano de 1969, ela se mudou para Parelheiros, local aonde viveu até o dia do falecimento. O livro póstumo dela, publicado em 1986, é o Diário de Bitita.

Escrito por

Sou Daniela Esperandio Dias, uma capixaba de 20 anos que tem coluna de uma senhora de 70. Curso jornalismo e estou na luta para aprender francês. Amo ler e escrever, e tenho um caso sério com o chocolate.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s