Morre Rubem Fonseca, um grande escritor brasileiro

Ontem, dia 15 de abril, faleceu aos 94 anos o escritor Rubem Fonseca, um grande nome da literatura brasileira. De acordo com o portal UOL, Rubem passou mal durante o almoço e foi levado ao hospital Samaritano, no Rio de Janeiro. Ele teve um infarto e acabou não resistindo.

É uma lástima perder uma figura que contribuiu tanto com o fazer literário do Brasil. Ao mesmo tempo em que ele se foi, estará imortalizado na História. Confira um pouco sobre a vida desse escritor incrível e de obras interessantíssimas:

Trajetória

A trajetória do autor é bastante importante para o mundo literário. Nascido no ano de 1925, em Minas Gerais, ele se mudou desde pequeno para o Rio de Janeiro, aonde cresceu e construiu a carreira acadêmica. Com o tempo, Rubem passou a publicar romances, contos e crônicas.

O primeiro romance do autor foi o O Caso Morel, lançado em 1973. Confira a sinopse:  “Paulo Morel é um artista de vanguarda que está preso pela suspeita de ter matado uma de suas namoradas. Na cela, recebe a visita do escritor Vilela, ex-delegado que já aparecera no conto final de “A Coleira do Cão”, publicado em 1965. Enquanto Morel pede ao escritor auxílio para escrever – não sabemos se um romance ou sua autobiografia, Vilela enxerga no artista paralelos com sua própria vida”. 

Uma obra de Rubem que fez bastante sucesso e se tornou um bestseller logo após o lançamento foi o livro de contos Feliz Ano Novo, lançado em 1975. Por tratar de assuntos considerados errados (conflito, sexo e violência), para a época, afinal, nesse período, existia a ditadura militar no Brasil que determinava o que podia ou não ser circulado, essa livro foi censurado. Só dez anos depois a circulação dele foi liberada.

Além dessas duas, o arsenal de obras de Rubem Fonseca é gigantesco, o que o tornou um autor consagrado. Ele ganhou vários prêmios Jabutis de Literatura, assim como o prêmio Machado de Assis. A consagração maior foi com a principal premiação literária para a língua portuguesa, o prêmio Camões, conquistado em 2003.

Que Rubem Fonseca descanse em paz e que a família dele fique bem.

Escrito por

Sou Daniela Esperandio Dias, uma capixaba de 20 anos que tem coluna de uma senhora de 70. Curso jornalismo e estou na luta para aprender francês. Amo ler e escrever, e tenho um caso sério com o chocolate.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s