Famosos pelos contos de fadas, os irmãos Grimm são importantes figuras para a literatura

Você provavelmente já ouviu falar dos irmãos Grimm ou leu o nome deles em algum lugar. Conhecidos por serem escritores de diversos contos famosos, a dupla contribuiu para manter muitas histórias vivas. Nascidos na Alemanha, no século XVIII, eles são figuras importantes para a literatura.

Naquela época, muitas das histórias conhecidas pelo povo eram contadas, passadas oralmente de geração para geração. Essa característica da oralidade fazia que os contos tivessem várias versões dependendo de onde ele era dito. É como a brincadeira de telefone sem fio – vários ruídos são adicionados ao caminho, e no final, o que inicialmente foi falado é transformado completamente.

Jacob e Wilhelm Grimm foram responsáveis por deixar várias histórias da oralidade de diversas regiões do mundo registradas no papel, levando-as bastante para a versão alemã, consequentemente. Eles valorizavam muito a cultura nacional e queriam as preservar do desaparecimento, portanto, decidiram eternizar em páginas o que era contado pelo povo, e também, o que já estava presente na literatura.

Contextualizando…

Entender o trabalho realizado pelos irmãos Grimm é mais fácil se o contexto for apresentado corretamente.

A Alemanha se tornou um país unificado apenas em 1871, quase um século após o nascimento de Wilhelm e Jacob (1785 e 1786, respectivamente). Anteriormente, a região era composta por vários principados, com costumes e dialetos distintos. Porém, o lado artístico voltado para a literatura ganhou força na grande região na década de 1770 com o movimento literário Sturm und Drang, focado na valorização da cultura do lugar. Segundo Katia Canton, autora do livro Era Uma Vez… Irmãos Grimm, esse movimento foi uma grande influência para a dupla Grimm.

Na primeira década de 1800, a França invadiu a região da atual Alemanha, e só saíram do espaço em 1813, ao serem derrotados por outras forças europeias. Essa saída de um país estrangeiro do local dos principados contribuiu ainda mais para o crescimento do sentimento nacionalista nos irmãos.

Por abordar a ideia nacionalista, é interessante falar de um outro feito muito importante dos Grimm. Katia Canton afirma em Era Uma Vez… Irmãos Grimm, que a dupla ficou responsável pelo primeiro dicionário que padronizava a língua alemã (o qual tinha 33 volumes e um peso gigantesco de 84kg). É mais que perceptível ver como esses dois escritores valorizavam a língua e a cultura deles.

Contos de fada para crianças?

Não é bem assim…

Entre 1812 e 1857, a dupla publicou o livro de contos  Kinder- und Hausmärchen, ao fazer grande pesquisa na literatura e com o povo (as histórias conhecidas por ele). De acordo com Katia Canton, Jacob e Wilhelm fizeram a coleta e trabalho com os conhecimentos folclóricos da população durante a ocupação da França na atual Alemanha, e que “a intenção dos irmãos era a de opor-se à ocupação, fortalecendo um sentimento nacional”.

Várias edições dessas obras foram publicadas, e ao longo delas, narrativas eram adicionadas e também removidas. A sétima edição (1957) chegou a ter 211 contos!

“Eles realmente estudaram, percorreram povoados, ouviram várias versões que conheciam das histórias. Mas os irmãos somaram tudo isso a outras fontes. Pesquisaram livros do final do século 17, rastrearam autores de outros tempos, como o francês Charles Perrault, e deram a suas versões toques pessoais, que refletiam suas crenças e seus ideais.”

Katia Canton – Era Uma Vez… Irmãos Grimm

Muitos dos contos de fadas conhecidos hoje estão presentes no livro, como por exemplo: A Bela Adormecida, Chapeuzinho Vermelho, Rapunzel, Branca de Neve, João e Maria, Cinderela. Na época, eles foram chamados de contos infantis, porém, a versão dos Grimm era bastante incoerente para tal classificação. As versões dessas narrativas, hoje, muitas adaptadas pela Disney, aliás, são sim infantis. Porém, o que a dupla de irmãos julgou ser para crianças não parecia adequado.

Sim, a história contada pela Disney de uma jovem chamada Bela Adormecida (1959) é adorável, apesar de ter todo o drama e tristeza por trás. O mesmo pode se dizer do filme de A Branca de Neve (1937), e da Cinderela (1950). Entretanto, o que é mostrado nos longas não é totalmente o que está escrito nas palavras dos irmãos Grimm.

Devido a incoerência. Jacob e Wilhelm foram bastante criticados. e realizaram mudanças ao longo das edições. De acordo com a National Geographic, porém, os contos dos Grimm eram obras científicas que tratavam da cultura alemã, e tinha como público alvo estudiosos, e não crianças.

Filme

A credibilidade da dupla é grande entre o mundo audiovisual. Além de ganharem várias adaptações das histórias que deixaram guardadas em páginas, em 2005, os dois viraram personagens de filme. Confira a sinopse:

“Wilhelm (Matt Damon) e Jacob (Heath Ledger) são dois irmãos famosos pelos seus contos de fada, recheados de personagens mágicos. Eles percorrem a Europa comandada por Napoleão Bonaparte enfrentando monstros e demônios falsos em troca de dinheiro rápido. Porém, quando as autoridades francesas descobrem o plano deles, os coloca para enfrentar uma maldição real em uma floresta encantada, na qual jovens donzelas desaparecem misteriosamente.” Adoro Cinema.

Escrito por

Sou Daniela Esperandio Dias, uma capixaba de 19 anos que tem coluna de uma senhora de 70. Curso jornalismo e estou na luta para aprender francês. Amo ler e escrever, e tenho um caso sério com o chocolate.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s