O Morro dos Ventos Uivantes é um livro respeitado hoje, mas em 1847 a obra foi altamente criticada. Entenda:

Lançamento do livro e polêmicas

Lançado em 1847, o livro O Morro dos Ventos Uivantes é um clássico que conquista leitores até hoje. Na época, porém, ele foi recebido com várias críticas, principalmente por conta da presença de linguagem informal, cenas com violência e que eram contra os preceitos do momento. A obra foi escrita pela britânica Emily Brontë, sendo o único livro da autora.

Na primeira edição, não estava claro que O Morro dos Ventos Uivantes era escrito por uma mulher, na verdade, Emily o publicou com o pseudônimo masculino de Ellis Bell. Quando a revelação foi à tona naquela sociedade a qual vivia a época vitoriana, o borborinho se tornou ainda maior. Para Solange Pinheiro (pesquisadora e tradutora da versão do livro em português para a editora Martin Claret), na mente daquelas pessoas “O Morro dos Ventos Uivantes não poderia ter sido escrito por uma moça; não era possível que suas personagens tivessem sido concebidas pela mente de uma jovem escritora” (p.9, O Morro dos Ventos Uivantes, 2014). Para os críticos, de acordo com Pinheiro, a obra de Emily era desonrosa, imoral e brutal ao ir contra a moral da época.

Se por um lado muitos criticaram O Morro dos Ventos Uivantes no passado por questões do uso da linguagem informal ao dar ainda mais vivacidade aos personagens ou por questões machistas – ao ter sido escrito por uma mulher – , sabe-se que hoje o livro é considerado um clássico respeitado e inspiração para adaptações cinematográficas. Pinheiro (2014) afirma que a escrita de Emily Brontë proporcionou ótimas visões na trama ao utilizar do informal, além de fazer a manipulação do tempo.

A narrativa é contada pelo ponto de vista de vários personagens, ou seja, é bem difícil saber se o que eles disseram foi de maneira parcial ou não, e isso influencia muito na história (imaginem vários Bentinhos falando sobre a possível traição de Capitus?). Eles usam da manipulação do tempo ao relembrar acontecimentos de um passado distante, entregando-o de acordo com o que viram. Solange também destacou o uso da linguagem informal nos diálogos e em como isso deixou a leitura mais natural. Isso se deu por conta de uma maior realidade: o camponês não falava de maneira culta, ele interagia de acordo com os costumes de comunicação do campo, com gírias e expressões de lá. E Emily aproveitou isso, dando espaço para a cultura de cada grupo social. Para os críticos, no entanto, essa fórmula que abrange a diversidade da fala era errada, pois o correto seria fazer literatura com o uso da norma, da forma direita.

O Morro dos Ventos Uivantes

Sinopse: “Na fazenda chamada Morro dos Ventos Uivantes nasce uma paixão devastadora entre Heathcliff e Catherine, amigos de infância e cruelmente separados pelo destino. Mas a união do casal é mais forte do que qualquer tormenta: um amor proibido que deixará rastros de ira e vingança”.

A história de O Morro dos Ventos Uivantes é contada sobre diversas perspectivas, e o romance vivido por Heathcliff e Catherine não ganha um espaço só deles. Fica claro que os dois são apaixonados um pelo outro, mas a razão disso, os momentos que os levaram a isso não existem. É como se fosse íntimo demais para estar no livro, restando apenas pistas do que eles poderiam ter vivido. Por outro lado, cenas de discussão entre os dois são mostradas, afinal, eles não poupavam ser dramáticos na frente dos outros.

Pelo o que é descrito, o amor dos dois é forte e doentio. Catherine aceita se casar com um outro homem porque este possuía mais condições de vida melhores que o pobre Heathcliff, porém, não queria que ele saísse de sua vida. Por outro lado, Heathcliff acaba fazendo jogos e voltando para a vida de Catherine com motivos vingativos, casando-se com outra. Os dois jogavam com os sentimentos dos outros para enciumar um ao outro.

Adaptações

O Morro dos Ventos Uivantes teve várias adaptações cinematográficas, até mesmo na televisão brasileira, com as novelas O Morro dos Ventos Uivantes (1967) e Vendaval (1973). A adaptação mais recente da obra foi o filme Wuthering Heights (2011), com a participação da atriz Kaya Scodelario no elenco. Confira o trailer:

Anúncios

Escrito por

Sou Daniela Esperandio Dias, uma capixaba de 19 anos que tem coluna de uma senhora de 70. Curso jornalismo e estou na luta para aprender francês. Amo ler e escrever, e tenho um caso sério com o chocolate.

Um comentário em “O Morro dos Ventos Uivantes é um livro respeitado hoje, mas em 1847 a obra foi altamente criticada. Entenda:

  1. Menina, comecei a ler ele e não consegui terminar. Mas tô DOOIDA pra continuar
    Relacionamentos drámaticos ainda por cima?? É comigo mexxmo

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s