Poemas: Lua Adversa – Cecília Meireles

Trouxe para este post esse poema espetaculoso da maravilhosa Cecília Meireles. Ele diz sobre fases/estados de espírito do eu lírico e é bem parecido comigo, na verdade. Sou inconstante demais – não gosto, mas sou. Tem dias que estou muito feliz, e em outros, bastante triste (sem motivos, ou por futilidades). Fico triste atoa, desanimada em questões de segundos. Sou uma perdição ao mesmo tempo que determinada. Me animo novamente em milésimos. Mudo de planos, arrependo-me. Pois é.

Na verdade, acho que isso acontece com todo mundo. Não acredito que exista alguém reto. Somos todos tortos. Penso.

Confiram esse meu novo xodó:

Lua Adversa

Tenho fases, como a lua,
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua…
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!

Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua…).
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua…
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu…

                      Cecília Meireles

Anúncios

Escrito por

Sou Daniela Esperandio Dias, uma capixaba de 19 anos que tem coluna de uma senhora de 70. Curso jornalismo e estou na luta para aprender francês. Amo ler e escrever, e tenho um caso sério com o chocolate.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s